Helping The others Realize The Advantages Of frases de superacao

A educação inclusiva assumiu fortemente essa responsabilidade de abarcar métodos e reflexões que possam garantir a todo e qualquer aluno o direito à educação formal (escolar). Com o aluno que possui deficiência intelectual não é diferente, mesmo que as características próprias desse quadro impeçam a aquisição suficiente dos conteúdos propostos pelos programas curriculares.

). Além disso, por mais dinâmico que seja o processo de ensino-aprendizagem do aluno com deficiência intelectual, o ensino escolar não terá potencial de ação suficiente para promover determinadas mudanças.

•que compartilhe decisões e objetivos escolares com a família, inclusive para incentivar a responsabilidade e o envolvimento dos pais em práticas de ensino fora do ambiente escolar.

Quando o assunto é o ensino escolar dos alunos com deficiência intelectual, não é raro o questionamento sobre o modo de trabalhar com tais alunos. Para tanto, este artigo procura apresentar uma descrição e uma compreensão acerca das características da deficiência intelectual em relação ao quadro principal de prejuízo cognitivo (as excitingções intelectuais) e adaptativo (as pleasurableções sociais, emocionais e práticas), para, então, definir as possibilidades da prática pedagógica no contexto escolar. O estudo foi construído a partir de uma pesquisa bibliográfica sobre a área da deficiência intelectual, dos transtornos da aprendizagem e do desenvolvimento, da inclusão escolar e do ensino especializado.

• que gere no aluno e na família o interesse permanente pela aprendizagem e pelo crescimento pessoal, uma vez que é característica do ser humano a possibilidade da mudança e da vivência de aprendizagens e experiências variadas por toda a vida;

• em que a avaliação seja capaz de demonstrar a evolução progressiva do desenvolvimento; a aquisição dos conteúdos que foram selecionados no planejamento; o desenvolvimento atual; a forma como o aluno se porta e usa recursos nas situações de aprendizagem; o que ele é capaz de fazer mesmo com a mediação de terceiros; a autonomia; a relação grupal.

• que promova interações sociais, click here pois o ser humano tem necessidade intrínseca do outro para seu desenvolvimento potencial e como ser relacional e dialógico.

When the topic will be the educating of pupils with intellectual handicap, it's common to query the best way of working with them. The present post seeks to show a description and an comprehension of the features of mental handicap in relation to the wider photograph of cognitive (the mental features) and adaptive (the social, psychological, and realistic functions) handicap, to be able to then outline the possibilities of the pedagogical exercise within the university context. The study was designed determined by a bibliographical study of the field of intellectual handicap, of learning and progress Problems, of social inclusion, and of Exclusive educating. Despite the fact that mental handicap poses a challenge to school educating in watch of its curricular aim, each in an ordinary classroom and in specialized instructional services, it is feasible to establish a fruitful pedagogical context preserving in your mind the academic goals of personal advancement and educational-Skilled, cultural and citizenship education.

Mesmo que a deficiência intelectual consista em um quadro clínico distintivo, cada necessidade é única e gera a necessidade de tratamento subjetivo.

• sem discriminações e que promova segurança, relação interpessoal, contingências positivas e bem-estar pessoal;

Para que o ensino nesses casos seja mais efetivo, deve-se, em suma, criar condições para a atuação ativa do aluno, o uso de situações aplicadas (contextualizadas), o uso de um conteúdo curricular funcional, o trabalho de habilidades positivas e não só a redução das limitações, o desenvolvimento da capacidade de aprender (em contraposição à apreensão quantitativa de conteúdos) and so forth.

• que selecione conteúdos curriculares mais importantes e moveíveis de efetiva compreensão - é a denominada adaptação curricular;

Desse modo, é possível gerar condições para que o aluno acerte mais do que erre, receba mais reforço imediato e feed-back. Assim, promove-se a motivação, a autoconfiança e o aumento de comportamentos almejados pelos objetivos escolares;

Castro, Almeida e Ferreira (2010) destacam que, nas aulas e atividades improvisadas, os alunos com deficiência intelectual tendem a ficar alheios às explicações, a causar maior agitação e a demonstrar maiores reações emocionais, colocando também o professor em estado de tensão e angústia;

• que trabalhe a memória associativa, via informações contextualizadas. Logo, o uso de conhecimentos a partir do concreto não se restringe à dimensão fileísica;

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *